Solidariedade da Sorte

O corpo do senhor Conceição Nascimento do Carmo, 85 anos, que faleceu no Hospital Espanhol, em Salvador, após sofrer uma fratura no fêmur e contraiu o novo coronavírus enquanto buscava atendimento na capital, foi sepultado nesta sexta-feira (26), no cemitério do distrito de Caatinga do Moura, município de Jacobina.

O idoso havia sido transferido do Hospital Municipal de Jacobina e faleceu depois de 21 dias internado entre uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o Hospital Português. O idoso morreu após sofrer uma parada cardíaca.

O sepultamento teria que acontecer seguindo todas as normas de prevenção ao coronavírus, porém no distrito sequer havia coveiro para resolver os trâmites finais do sepultamento. O descaso aumentou a dor dos familiares, que foram obrigados a eles mesmos cavar a cova e sepultar o pai mantendo o distanciamento do caixão. O sentimento era de revolta em toda a comunidade de Caatinga do Moura. 

Segundo a filha do idoso, mesmo após a repercussão do caso, a Secretaria da Saúde ficou alheia ao problema da falta de coveiro no distrito de Caatinga do Moura e nada foi resolvido para evitar o constrangimento humilhante dos familiares na comunidade.

Ela usou as redes sociais para demostrar indignação com a Prefeitura de Jacobina por não ter enviado uma equipe para realizar o sepultamento. Os próprios familiares tiveram que vestir os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), abrir a cova, carregar o caixão e realizar o enterro.

Com informações do Augusto Urgente




Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem

GOVERNO EMBASA

Alicell Atacadista

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA