SOLIDARIEDADE DA SORTE

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA
O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, comentou nesta 3ª feira (1º.set.2020) o tombo histórico de 9,7% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro no 2º trimestre diante da pandemia. Com o resultado, o país está oficialmente em recessão técnica.

Ao chegar no Planalto, Mourão disse que a queda já estava “precificada”. Outros países, afirmou, tiveram 1 prejuízo maior.

“Isso aí já estava na conta. Agora, a gente sabe que no 3º trimestre nós vamos ter uma elevação do PIB, uma previsão de mais de 5% de se elevar. Nós tivemos outros países, como nossos companheiros do Brics [bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul], como é o caso da Índia, que teve uma queda expressiva. Outros países da própria Europa Ocidental caíram mais do que a gente. O Brasil não foi tão prejudicado como a gente esperava nessa questão da pandemia em termos de queda da atividade econômica. O problema é que nosso colchão era pequeno em relação aos demais”.

Mourão acrescentou que a partir do 2º semestre, o país começará 1 movimento mais rigoroso de retomada. Disse que no final do ano, a expectativa é que o PIB deste ano “encolha na faixa de de 4,5 a 5%”.

Reforma administrativa

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta 3ª feira (1º.set.2020) que a reforma administrativa será apresentada na próxima 5ª feira (3.set.). Segundo ele, a reforma impactará apenas futuros servidores concursados, não os atuais.

Sobre a remodelação no serviço público, o vice-presidente Hamilton Mourão classificou-a como “mais do que necessária”.

“Nós deveríamos ter enviado ela no começo do ano. Em virtude da chegada da pandemia ela ficou parada. Está pronta desde o final de fevereiro. Ela é fundamental para que a gente consiga enxugar o custo do Estado”, disse.

Queimadas na Amazônia

A região teve 29.307 registros de focos de incêndio só em agosto, 5% a menos que o registrado no mesmo mês de 2019, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Sobre a queda nesses índices, Mourão afirmou que está dentro do esperado. Porém, disse que o governo quer mais.

“Está dentro da queda que nós estamos procurando. A média histórica para o mês de agosto é em torno de 26.000 focos de queimadas. Ano passado foram 30.000. Ficamos beirando nisso aí. A partir de agora, que estamos com as equipes todas em campo, temos quase certeza de que vai haver uma queda grande ao longo deste 2º semestre […]. O desmatamento, desde os últimos 10 dias de junho, começou a cair. […] Não dá ainda para você sair soltando foguete, caiu 5, 10%. Não é isso que nós queremos. Queremos que reduza bem mais”.

Fonte: MSN

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem

GOVERNO DO ESTADO

Alicell Atacadista

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA