Solidariedade da Sorte

Água alagou ruas na cidade de Maragogipe — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Após chuvas intensas, quatro cidades baianas decretaram situação de emergência ou estado de calamidade pública nesta semana. São elas: Maragojipe, Ruy Barbosa, Santaluz e Itaberaba.

A situação de emergência é definida como uma "situação anormal, provocada por desastres" e que compromete parcialmente a capacidade de resposta do poder público local. O caso pode requerer ajuda financeira ou reforço policial, deslocado de regiões vizinhas sob o comando da União.

Já o estado de calamidade pública é considerado mais grave que a situação de emergência. Ele pode ser decretado quando o desastre é grande o suficiente para comprometer totalmente a capacidade de resposta do poder público local. Nestes casos, a União pode definir a intervenção da Força Nacional para auxiliar no controle de danos.

Maragogipe

A prefeitura de Maragogipe, no recôncavo baiano, decretou situação de emergência no dia 7 de novembro. Segundo a gestão municipal, a decisão foi tomada em virtude de enxurradas, elevação do nível dos rios e riachos, destruição de estradas vicinais, pontes e passarelas, provocando alagamentos e danificando imóveis, ocasionados principalmente pela tromba d'água no sábado (6).

Pelo menos 28 famílias ficaram desalojadas e as aulas foram suspensas em colégios do município até a última quarta-feira (10). Maragogipe tem cerca de 45 mil habitantes e mais da metade das pessoas vivem na linha da pobreza ou abaixo dela.

Além de danos na rede de energia, a chuva provocou interrupção no fornecimento de água no município. O rio que corta a cidade transbordou e a força da água destruiu a linha de distribuição da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa). Com a inundação do rio, a praça no bairro Palmeiras ficou submersa.

Guarda-roupa é destruído na inundação de imóvel em Maragojipe, no recôncavo baiano — Foto: Reprodução/TV Bahia

Segundo o prefeito Valcínio Armede, prefeituras de cidades vizinhas enviaram pessoas para auxiliar os trabalhos no município.

Imagens feitas por moradores mostram agentes da prefeitura e pessoas da cidade quebrando parte das portas de imóveis para dar vazão à água no interior das casas. Outras, mostram pessoas caminhando em meio ao alagamento, com volume de água na na altura da coxa.

Imóveis públicos e residenciais foram invadidos pela chuva em Maragojipe — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Ruy Barbosa

A cidade de Ruy Barbosa, a cerca de 320 quilômetros de Salvador, decretou situação de emergência por causa da chuva na segunda-feira (8). De acordo com a prefeitura, no domingo (7) choveu 180mm em um período de 3h, o que gerou prejuízos para centenas de famílias. Com isso, alagamentos foram registrados no município, além de trovões e raios.

Nilzete Suzarte Leal, de 62 anos, desapareceu no último domingo (7). Corpo foi encontrado na terça-feira. — Foto: Reprodução/Redes Sociais

No domingo, Nilzete Suzarte Lealde, de 62 anos, desapareceu enquanto tentava atravessar uma ponte. De acordo com o a família, o corpo foi encontrado na terça-feira (9).

Santaluz

Município de Santaluz decreta situação de calamidade após prejuízos causados pela chuva — Foto: Reprodução/TV Bahia

O município de Santaluz, que fica a cerca de 275 km de Salvador, decretou situação de calamidade pública por causa das fortes chuvas que têm caído nos últimos dias. Cerca de 30 famílias ficaram desabrigadas e foram colocadas em creches preventivamente.

Por causa do volume de água gerado pelos temporais, o açude da Tapera, que fica às margens da BA-120 transbordou e atingiu vários imóveis. De acordo com os moradores, isso não acontecia há 10 anos.

Segundo a prefeitura, as famílias estão recendo apoio psicológico, alimentação e atendimento com assistentes sociais nos abrigos provisórios.

Itaberaba

Telhado desabou em Itaberaba por causa da chuva forte na cidade da Chapada Diamantina, na Bahia — Foto: Reprodução/TV Bahia

A prefeitura de Itaberaba decretou, nesta quinta-feira (11), situação de emergência por causa das fortes chuvas registradas na cidade. Em apenas dois dias, choveu o equivalente a um mês: 300mm, o que causou uma devastação em diversos pontos da cidade.

Além dos alagamentos nas ruas, a chuva forte danificou estradas, buracos se formaram na via, telhados de casas caíram, muros desabaram e muitas casas foram invadidas pela água.

Fonte: G1 Bahia

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem

MOYA

Alicell Atacadista

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA