Solidariedade da Sorte

Foto reprodução


A família do médico pediatra Júlio César de Queiroz Teixeira, de 44 anos, que foi morto a tiros dentro do consultório em que trabalhava na cidade de Barra, na Bahia, suspeita que ele tenha sido assassinado por vingança. O motivo seria um alerta que o profissional deu a parentes de uma criança após constatar sinais de que ela sofreu abuso sexual.

Em entrevista ao site G1, o irmão do médico, o cirurgião-dentista Lula Teixeira, de 48 anos, falou que surgiram muitas versões para o crime e, entre elas, está a de que a criança molestada foi atendida pelo pediatra, que alertou os familiares da vítima sobre o caso. “Ele, como médico, tem por obrigação ver uma questão dessa e alertar a mãe e o pessoal para procurar a polícia”, disse.

O crime aconteceu na manhã de quinta-feira (23) dentro de uma clínica particular que fica na Rua Cardeal da Silva, bairro Rosário. De acordo com a Polícia Civil, o médico, que também prestava serviços de ultrassonografia, tinha acabado de atender um paciente quando um suspeito entrou no consultório e atirou várias vezes contra Teixeira. Ele chegou a ser socorrido por outros funcionários e levado para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Imagens da câmera de segurança da clínica mostraram o momento em que um homem, usando um capacete, entrou no local. Após efetuar vários disparos, ele fugiu. Pacientes que aguardavam atendimento ficaram desesperados.

Investigação

Apesar das suspeitas do irmão do pediatra, a polícia ainda não divulgou nenhuma linha de investigação. A corporação informou, apenas, que busca identificar os suspeitos do assassinato. Ainda de acordo com a polícia, enquanto o suspeito cometeu o crime, um comparsa o aguardou do lado de fora da clínica para dar fuga. Os dois saíram do local em uma moto.

Júlio César era natural da cidade de Xique-Xique, que fica a cerca de 700 km de Barra. O corpo dele foi enterrado na manhã desta sexta-feira (24) na cidade natal.

Fo dente: G1co pediatra Júlio César de Queiroz Teixeira, de 44 anos, que foi morto a tiros dentro do consultório em que trabalhava na cidade de Barra, na Bahia, suspeita que ele tenha sido assassinado por vingança. O motivo seria um alerta que o profissional deu a parentes de uma criança após constatar sinais de que ela sofreu abuso sexual.

Em entrevista ao site G1, o irmão do médico, o cirurgião-dentista Lula Teixeira, de 48 anos, falou que surgiram muitas versões para o crime e, entre elas, está a de que a criança molestada foi atendida pelo pediatra, que alertou os familiares da vítima sobre o caso. “Ele, como médico, tem por obrigação ver uma questão dessa e alertar a mãe e o pessoal para procurar a polícia”, disse.

O crime aconteceu na manhã de quinta-feira (23) dentro de uma clínica particular que fica na Rua Cardeal da Silva, bairro Rosário. De acordo com a Polícia Civil, o médico, que também prestava serviços de ultrassonografia, tinha acabado de atender um paciente quando um suspeito entrou no consultório e atirou várias vezes contra Teixeira. Ele chegou a ser socorrido por outros funcionários e levado para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Imagens da câmera de segurança da clínica mostraram o momento em que um homem, usando um capacete, entrou no local. Após efetuar vários disparos, ele fugiu. Pacientes que aguardavam atendimento ficaram desesperados.

Fonte: G1



Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem

GOV EDUCA

Alicell Atacadista

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA