Solidariedade da Sorte


                 Foto: Acervo Pessoal

A polícia encontrou nesta quinta-feira (8) dois homens suspeitos de participarem da morte do soldado do Exército Brasileiro Fernando Silveira Guardiano, de 20 anos, em março deste ano. Um dos criminosos morreu em confronto com a polícia e o outro foi preso.

Fernando voltava de uma festa com outros dois soldados do 6° Batalhão de Polícia do Exército, sediado em Salvador. Eles estavam de carro e, após um deles ter sido deixado perto de casa, na localidade de Timbalada, no Cabula, os outros dois foram abordados por um grupo de bandidos armados que fazem parte da facção Comando da Paz (CP). Os soldados foram espancados e, depois, obrigados a nadarem na lagoa e fugir atravessando pela água, enquanto os bandidos atiravam contra eles. Enquanto um dos soldados conseguiu atravessar a Lagoa da Pedreira e pedir ajuda, o outro, Fernando, morreu.

Os suspeitos foram encontrados na mesma localidade onde ocorreu o assassinato. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Militar recebeu a denúncia de que um homem que estava com uma tornozeleira eletrônica estava com um parceiro traficando drogas na localidade da Timbalada.

Após as denúncias, os policiais acionaram as unidades do Comando de Operações Policiais Militares (COOPM), Rondesps RMS e Central, dos Batalhões de Choque e de Guardas da PM, e do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) para realizar uma grande operação.

Segundo a polícia, quando as equipes chegaram no local, foram recebidas a tiros por um dos suspeitos. No confronto, ele foi atingido e socorrido para o Hospital Roberto Santos, mas não resistiu e morreu na unidade médica.

Já o segundo homem que teria envolvimento no crime é apontado como gerente do tráfico no 'Inferninho', na Boca do Rio. Ele, que fazia uso da tornozeleira eletrônica, foi capturado e encaminhado ao Draco.

Na operação, foram apreendidas uma pistola calibre 9mm fabricada na Turquia, carregadores para o armamento, munições, uma porção de maconha, 139 trouxas da mesma droga, 31 pinos de cocaína e três aparelhos celulares.

                              Fernando desapareceu após ser espancado (Foto: Acervo Pessoal)

Relembre o caso

Era por volta das 2h de domingo quando três soldados do 6° Batalhão de Polícia do Exército retornavam de uma festa. Um deles foi deixado em casa e os outros dois abordados pouco depois, na localidade de Timbalada – comunidade que fica atrás do Colégio Estadual Governador Roberto Santos –, no Cabula.

Criminosos que fazem parte da facção Comando da Paz (CP), uma das maiores do estado, espancou dois soldados e, depois, obrigaram os homens a nadarem na lagoa e fugir atravessando pela água, enquanto atiravam contra eles.

Um dos soldados conseguiu atravessar a Lagoa da Pedreira e pedir ajuda. Segundo o Comando da 6ª Região Militar, ele foi levado para o Hospital do Exército, em Salvador, para a realização de exames e encontra-se em observação. O outro, Fernando Silveira Gardiano, 21 anos, chegou a ficar desaparecido.

O corpo foi encontrado na lagoa no dia 9 de março e foi levado ao Instituto Médico Legal Nina Rodrigues e, depois, confirmado que pertencia ao solfado. O carro de Fernando foi encontrado ainda na comunidade e levado para perícia.

Em março deste ano, um dos suspeitos foi morto em confronto com a polícia, enquanto outro foi preso três dias depois. Na época, ele disse que confundiu o soldado com o membro de uma facção rival.

Fonte: Correio

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem

estado solidario

Alicell Atacadista

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA