Solidariedade da Sorte

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA
             Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) com 4.385 dos 5.568 municípios brasileiros (78,8%) apontou que 2.119 prefeituras (49,5%) optaram pelo pagamento do 13º salário em parcela única e têm até o dia 20 de dezembro para fazê-lo. O levantamento foi realizado no período de 16 de novembro a 11 de dezembro de 2020.

De acordo com a CNM, das 2.119 prefeituras, 25,9% delas responderam que já pagaram os servidores. Por outro lado, 1.482 (69,9%) informaram que vão realizar o pagamento no dia 20, enquanto 66 (3,1%) declararam que terão dificuldades em honrar este compromisso. Os outros 1% não responderam a essa pergunta.

Segundo o levantamento, 49,8% haviam afirmado que vão realizar o pagamento em duas parcelas: a primeira seria paga até 30 de novembro e a segunda até 20 de dezembro. Destes, 95,9% municípios já pagaram a primeira parcela. Os gestores municipais que acreditam que vão pagar a primeira parcela até 20 de dezembro representam 3,5% dos municípios entrevistados. Os 0,7% restantes não responderam o questionamento.

Em relação à segunda parcela, que tem prazo estabelecido para pagamento até 20 de dezembro, 88,4% declararam que irão pagar até a data fixada, 7,3% informaram que realizaram o pagamento e os outros 3,8% disseram que não terão condições de honrar o prazo. Os demais, 0,5%, não responderam essa questão do formulário.

Pagamentos de salários

Sobre a pontualidade das prefeituras quanto ao pagamento dos salários do funcionalismo municipal, 4.306 ou 98,2% dos municípios responderam que as remunerações dos funcionários municipais estão sendo pagas em dia. Quando questionados sobre a possibilidade de atraso dos salários do mês de dezembro de 2020, 3.636 (82,9%) municípios responderam que efetuarão o pagamento em dia e 121 (2,8%) atrasarão os pagamentos do funcionalismo público municipal, enquanto 595 (13,6%) disseram depender de receitas extras.

Ao serem questionados sobre a capacidade de fechar as contas do presente ano, 3.229 (73,6,3%) responderam que conseguirão, enquanto 279 (6,4%) afirmaram não ser possível. No cenário enfrentado pelos municípios, uma das soluções encontradas para não ocorrer o atraso da folha de pagamentos do pessoal é a postergação dos pagamentos de fornecedores. Dos 4.385 municípios que responderam o questionário, 22,8% afirmaram que estão com pagamentos de fornecedores atrasados, 75,6% não estão e 1,6% não responderam à pergunta.

Para a CNM, os resultados indicam um esforço por parte dos gestores municipais para se adequarem à falta de recursos e à crise fiscal e econômica por que passa o poder público no Brasil. Várias ações foram adotadas, como a redução das despesas de custeio, alteração do horário de expediente, redução no quadro de funcionários e a redução dos cargos comissionados.

Sobre a pesquisa

Para a realização do levantamento, a CNM fez tentativa de contato telefônico com todos os municípios do país. Para os gestores que não responderam o formulário pelo telefone, ele foi disponibilizado em diferentes canais para o recebimento da informação. Foram aceitas respostas por fax, e-mail, correspondência e pela Internet. Além disso, a CNM manteve uma equipe de suporte da área de Assessoria Técnica e o do Setor de Pesquisas para o preenchimento dos formulários.

Fonte: Bahia.Ba

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem

GOVERNO COVID

Alicell Atacadista

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA