SOLIDARIEDADE DA SORTE

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA

O escritor e jornalista Ricardo Ishmael lança, nesta sexta-feira (7), o livro infanto-juvenil "A Princesa do Olhinho Preguiçoso", que conta a história de Lalá, uma menina que, aos seis anos, foi diagnosticada com ambliopia, quando um dos olhos “enxerga” menos do que o outro. O tema principal é o bullying.

Em "A Princesa do Olhinho Preguiçoso", Ricardo Ishmael propõe o diálogo entre família e escola, e sugere que o debate sobre o bullying deve estar presente em todos os espaços sociais.

“Família, escola, igreja, universidade, governos, sociedade em geral. Somos todos nós responsáveis pelo combate ao bullying, e desta responsabilidade não podemos nos furtar”, afirma Ishmael.

O enredo do livro mostra que, após o diagnóstico, Lalá passa a usar um tampão e ganha apelidos na escola: “menina-pirata”, “Capitão-Gancho”, “esquisita”.

"A inspiração veio das crianças e adolescentes com algum tipo de deficiência visual, sejam as cegas, aquelas com baixa visão, estrabismo ou ambliopia, o popularmente conhecido 'olhinho preguiçoso'. Muitas destas crianças são perseguidas e humilhadas, sofrem em razão da sua condição. O bullying ocorre na escola, em casa, em todos os espaços sociais".

Para escrever a história de Lalá, Ishmael também se inspirou em uma das sobrinhas.

"Pensei nestas crianças e pensei, ainda, na minha sobrinha e afilhada, Anna Lara, a quem eu também dedico o livro. Lara teve um olhinho preguiçoso, passou anos usando tampão e óculos de grau, e embora não tenha sido uma vítima direta do bullying, teve dificuldade para lidar com tudo isso", contou Ishmael.

De acordo com Ishmael, o objetivo do livro é problematizar o bullying na escola e tentar uma forma de combatê-lo.


"O meu propósito ao escrever 'A Princesa do Olhinho Preguiçoso' foi problematizar o bullying na escola, como ele se dá, como se expressa, e a melhor forma de combatê-lo, entendendo que esse é um desafio não apenas dos professores e pais, mas de toda a sociedade. Deixei o ilustrador livre para construir esteticamente a personagem. Meu único pedido foi que a Princesa Lalá se parecesse com a minha sobrinha Anna Lara, o que significava fugir do estereótipo clássico da princesa dos contos infantis, branca, de cabelos loiros e olhos claros", disse.

A publicação, que está sendo vendida no site oficial da Mojubá Editora, ao preço promocional de R$ 36,90, ganhou tradução em inglês e espanhol e ilustrações de Heitor Neto, profissional com ampla experiência na área, com vários livros infanto-juvenis no currículo.

A versão em língua inglesa, The Princess with a Little Lazy Eye, foi traduzida e revisada pelo experiente professor de línguas Renan Oliveira. Já a versão em espanhol, intitulada La Princesa y su Ojito Vago, teve a participação de Pilar Martin e Tiago Garcia na tradução e na revisão.

Por causa dos impactos da pandemia da Covid-19, o livro vai ser lançado em dois momentos. O primeiro, uma live oficial com a participação de Ricardo Ishmael e Heitor Neto, nesta sexta, véspera do aniversário do autor, às 19h, no instagram @ricardoishmael. O segundo momento será no pós-pandemia, quando uma ação de lançamento será realizada nas livrarias de Salvador.

"O bullying está na agenda de muitos países. Escolas e especialistas de todo o mundo se debruçam sobre o assunto, numa tentativa de entender mais o fenômeno para melhor fazer frente a ele. É uma questão urgente e que tem ganhado fôlego nos últimos anos. Há muitas vozes se levantando contra essa prática, uma vez que suas consequências são comprovadamente graves", disse Ricardo Ishmael.

"Eu quis inserir o livro nessa discussão, fazer com que ele circule, chegue a outros países, seja acessado por crianças de várias línguas. Além do português, escrevi 'A Princesa do Olhinho Preguiçoso' em inglês e em espanhol porque acredito que ela merece ser conhecida para além das nossas fronteiras", conclui.

Fonte: G1 Bahia

Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem

GOVERNO DO ESTADO

Alicell Atacadista

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA