SOLIDARIEDADE DA SORTE

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA

Na última terça-feira, dia 16 de junho, o vice-presidente de operações da Yamana Gold - Brasil & Argentina , Sandro Magalhães, participou de uma live sobre sustentabilidade em tempos de pandemia. A discussão foi coordenada pelo presidente do Conselho de Sustentabilidade da Federação das Indústrias da Bahia (FIEB), Jorge Cajazeiras e contou com a contribuição valiosa do Ministério Público Federal, representado por Dra. Cristina Seixas (INEMA), através do Engenheiro Eduardo Topázio e do Engenheiro André Fraga, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana.

A live teve 788 inscritos e contou com a interação, através de perguntas e comentários, de mais de 75 pessoas. Segundo Jorge Cajazeiras, as empresas vêm colocando em prática os seus compromissos de sustentabilidade cada vez mais, especialmente com os temas ligados à dimensão social, que se tornam ainda mais importantes em período de pandemia. As instituições públicas também estão enfrentando esse desafio, com as mudanças repentinas em suas formas de funcionamento. A live teve como proposta a possibilidade dos participantes dialogarem sobre essas articulações dentro das cadeias produtivas, questões ambientais e nos setores da sociedade.

O destaque da Yamana nesta  discussão foi  expor seu posicionamento no mercado como atividade essencial e a importância de se manter em operação para continuar a dar apoio nas regiões onde ela está inserida, através de várias ações de responsabilidade social desenvolvidas nesse momento de pandemia, as quais sem a manutenção das operações não seria possível. A empresa, ocupa o ranking de maior produtora de ouro na Bahia, é a maior pagadora de Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) do estado, além de maior empregadora da região.

Sandro Magalhães, mencionou que a Jacobina Mineração e Comércio (JMC), mantém-se atenta à segurança de seus colaboradores, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde, da Organização Mundial da Saúde e as melhores práticas de controle de saúde previsto nos rígidos protocolos da Yamana. A empresa vem trabalhando com o número mínimo de funcionários como parte das medidas de  controle e mesmo assim, no último mês, alcançou todas as metas de produção. “O funcionamento da mineração nesse momento de pandemia permitiu que a empresa direcionasse maiores esforços para o investimento social local, além de garantir a manutenção dos postos de trabalho de mais de duas mil pessoas. O apoio social vem ocorrendo através de doações e incentivo a geração de renda nas comunidades, apoio financeiro ao município de Jacobina, através da criação de um fundo de assistência no combate ao Coronavírus, doação de milhares de testes rápidos de Covid-19 ao município, equipamentos de proteção individual às equipes de saúde que atuam na linha de frente, doação de respiradores e equipamentos ao hospital regional de Jacobina, além de doação de milhares de máscaras, kit de higienização e cestas básicas à população mais vulnerável. Preocupada com o impacto econômico gerado pela Covid-19, como medida adicional, a empresa ainda  está ajudando seus  fornecedores e prestadores de serviço com antecipações de pagamentos”, informa Sandro Magalhães.

O Ministério Público e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA) destacaram a importância da parceria entre poder público e empresas privadas no apoio às pessoas nesse momento tão delicado. A promotora, Drª Cristina Seixas, relatou que o órgão vem realizando suas atividades através do monitoramento de atividades que impactam ou interferem no equilíbrio ambiental e que estão relacionadas diretamente com a propagação do vírus, como o tratamento de resíduos sólidos e saneamento. “ Temos atuado na fiscalização dessa governança de saúde, pois meio ambiente e saúde dependem um do outro para funcionarem bem”, destaca Drª Cristina.

O engenheiro do INEMA, Eduardo Topázio mencionou que tem sido desafiador para as equipes do instituto realizarem suas atividades de campo em algumas cidades, às vezes por dificuldade de acesso e até mesmo por falta de locais para hospedar os profissionais, que muitas vezes precisam ir e voltar no mesmo dia, devido ao fechamento de hotéis por causa da pandemia. Por outro lado, apontou que muitas avaliações de licença que estavam pendentes, por excesso de trabalho, estão sendo realizadas mais rapidamente devido ao home office.

Sandro Magalhães, chamou atenção para a mudança nas relações que a pandemia trouxe e destacou que para gerir esse momento de crise, órgãos e empresas precisam se reinventar, entender as necessidades de quem está ao redor, quais as expectativas possuem, para que posteriormente atuem mitigando os impactos causados pelo vírus.

A live teve a duração de duas horas e recebeu muitos elogios, perguntas e comentários, desde a composição do debate à brilhante iniciativa da FIEB. “Parabéns aos debatedores, o pós-pandemia realmente será desafiador do ponto de vista econômico, social e ambiental”, aponta a participante Tatiana Matos.


Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem

Alicell Atacadista

AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA