Guia do Campeonato Baiano 2020: Conheça destaques e expectativas dos 10 participantes - AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA

Destaque

Guia do Campeonato Baiano 2020: Conheça destaques e expectativas dos 10 participantes


Segundo estadual mais antigo do país, o Campeonato Baiano estreia nesta quarta-feira (22) com rodada cheia. Atual bicampeão, o Bahia tenta engatar o tricampeonato estadual. Já o Vitória busca quebrar a sequência do maior rival. Os dois principais clubes do estado utilizarão a competição para dar rodagem aos atletas do sub-23, assim como aumentar o tempo de preparação e descanso do elenco principal. Com isso, os clubes do interior vêem o sonho do título crescer consideravelmente. 

Para deixar o torcedor ainda mais por dentro da competição, o Bahia Notícias fez uma relação com as informações mais importantes dos dez clubes que disputarão o certame.



ATLÉTICO DE ALAGOINHAS
Após conquistar o terceiro lugar na última edição, o Atlético de Alagoinhas chega ainda mais forte em 2020. O Carcará terá calendário cheio nesse ano, já que também disputa a Copa do Brasil e a Série D do Brasileiro. Novo treinador da equipe, Paulo Sales afirma que o time foi reformulado, e crê em um grande trabalho na competição.

"Estamos reformulando tudo no Atlético. 60% dos atletas eu ainda não tive o prazer de trabalhar junto, e com isso a dificuldade aumenta. A diretoria tem nos dado todas as condições para que a gente faça um bom trabalho. Tenho certeza que faremos um bom trabalho no Baianão", disse Sales em entrevista ao Bahia Notícias.

Com grandes contratações para reforçar o elenco, o Atlético trouxe o experiente atacante Magno Alves. O currículo do jogador de 44 anos dispensa comentário. Ele se destacou com a camisa do Fluminense, além de passar por clubes como Atlético-MG, Ceará e Sport. No exterior, ele atuou no futebol japonês, coreano e no mundo Árabe. É um dos principais goleadores em atividade no mundo, com mais de 430 gols marcados. 

"A gente vai ter que trabalhar bastante, mas tenho certeza que vai render frutos", afirmou Magno Alves ao assinar com o Carcará. 

Olho nele: Magno Alves (atacante)

Time-base: Fábio, Emerson, Emilio, Paulinho e Felipinho; Dedeco, Kaefer, Russo e Vitinho; Naian e Magno Alves.


BAHIA
Para dar um alívio na alta carga que o calendário impõe, o Bahia definiu que jogará com o seu time de transição na temporada 2020. O elenco é um misto de jogadores formados na base do Esquadrão com jovens promessas contratadas. Entre eles, estão quatro jogadores com experiência no Baianão: os volantes Luciano Buiu e Paulinho e os atacantes Gustavo e Gabriel Esteves.

O grupo treinado pelo técnico Dado Cavalcanti está trabalhando desde o dia 22 de dezembro e fez quatro jogos amistosos no período: Combinado de atletas e ex-Atletas (venceu por 1 a 0), Bahia de Feira (venceu por 1 a 0), Retrô-PE (venceu por 1 a 0) e Jacobina (empate em 0 a 0). A preparação foi vista como positiva pelo comandante, que vê um time capaz de ser competitivo.

"O tempo é importantíssimo, é ouro no futebol. A grande vantagem que os clubes intermediários têm nos estaduais, em todos, é o tempo de preparação. As equipes se preparam antes e começam o campeonato muito forte. Os clubes grandes começam com o peso da pré-temporada nas costas. Algumas equipes intermediárias conseguem a manutenção e buscam títulos. Nosso pensamento foi igualar esse tempo. Entendemos que nossa equipe ganhou muito com esse tempo. Evoluímos internamente. Mas sei que as dificuldades que vamos enfrentar independem do tempo de treinamento. Teremos algumas dificuldades que a juventude traz. Inexperiência, alguns nunca vestiram a camisa do Bahia, outros ainda não jogaram profissionalmente. Estamos dando essa oportunidade. Algumas coisas precisarão ser cuidadas durante o processo, mas acredito que estamos de igual para igual", disse.

Olho nele: Gustavo (atacante)

Time-base: Fernando; Willean Lepo; Ignácio, Anderson e Mayk; Edson, Ramon e Caio Mello; Gustavo, Saldanha e Gabriel Esteves.


 BAHIA DE  FEIRA
Atual vice-campeão baiano, o Bahia de Feira quer, no mínimo, repetir o bom desempenho da última edição. Para isso, o Tremendão manteve peças importantíssimas da sua engrenagem. Jogadores como Jair, Menezes, Paulo Paraíba, Alex Cazumba, Bruninho e Deon seguem no projeto do clube. Outra figura carimbada é o técnico Quintino Barbosa, o Barbosinha. O treinador também comandas as equipes de base da agremiação, além da principal, claro. O comandante elogiou os reforços para 2020 e admitiu que será uma competição muito complicada. 

"O Bahia de Feira vem se preparando bem. É um time muito cascudo e competitivo. Trouxe Diones, Escuro, que vem do mundo árabe, Pedro Pires, André Zumba, Léo Porto... São nossos reforços. A gente vem tentando aprimorar nos jogos-treino. Nossa parte física já está bem encaixada, falta aprimorar a parte tática. Será um campeonato complicado, difícil, mas podemos fazer uma grande competição", disse Barbosinha em entrevista ao Bahia Notícias. 

O treinador ainda comentou sobre a escolha da dupla Ba-Vi de não utilizar as equipes principais na competição. De acordo com Barbosinha, as chances dos clubes do interior aumentam, mas salienta que as equipes tem evoluído muito, o que faz do Baiano uma grande disputa, mesmo se as agremiações de Salvador optassem por utilizar seus elencos principais. 

"Fica um caminho menos complicado para os times do interior sonharem com o título. Não ficaria impossível se eles estivessem com o principal, mas também não é mais fácil enfrentá-los com o Sub-23. A questão é que os times do interior são fortes em seus domínios, e será um campeonato mais equilibrado. Acredito que tenha time para entrar entre os quatro, mas não será fácil. Os clubes do interior vem se preparando. Essa mudança de data foi benéfica para todos os times. Vamos encerrar nossa preparação no dia 18 contra o time principal do Vitória em um amistoso, e irá servir para vermos como está nosso time", explicou Barbosinha.

Olho nele: Jair (goleiro)

Time-base: Jair; Escuro, Paulo Paraíba, Menezes e Cazumba; Jhony, Capone, Bruninho, Jarbas; Deon e Pedro.


DOCE MEL
Atual campeão da Série B do Baiano, o Doce Mel chega à elite do futebol estadual querendo, no mínimo, se manter na primeira divisão. Para a disputa do Baianão, o clube contratou o técnico Luiz Carlos Cruz. O treinador é um velho conhecido no cenário local, já que comandou o Bahia por algumas partidas no início da temporada de 2006, e também dirigiu o Vitória da Conquista em 2010 e Fluminense de Feira entre 2011 e 2012. De acordo com o comandante, a preparação tem sido boa, e o time tem evoluído. 

"Nessa caminhada tiveram chegadas e saídas. Partimos de uma base da segunda divisão e contratamos mais atletas. A equipe está em evolução", disse o treinador em entrevista ao Bahia Notícias. 

Algo que pode atrapalhar os planos do Doce Mel é a indefinição quanto à utilização do Estádio Pedro Caetano, em Ipiaú, que passa por reforma. Enquanto não define se poderá mandar jogos na praça esportiva, a equipe irá atuar no Estádio Lomanto Júnior, em Vitória da Conquista. 

"As pessoas na cidade estão otimistas. Temos um laudo até março de uso do estádio. Se está em vigor, creio que não há problema. Mas isso sai da minha alçada. Vejo que tem totais condições de jogar, mas tem que melhorar o vestiário e a iluminação. Se o time continuar nesse crescimento, também será preciso ampliar a capacidade. Esse projeto do Doce Mel veio para ficar", destacou o treinador. 

Olho nele: Robert (atacante)

Time-base: Douglas; Pinheiro, Helbert, Andreson e Velasque; Jadson, Leandro Sobral, Tiago Carnaiba e Jean; Luis Felipe e Adnael.


FLUMINENSE DE FEIRA
Sob nova direção, já que o deputado estadual Pastor Tom (PSL) assumiu a presidência executiva, o Fluminense de Feira montou o time com a base que conquistou a Copa Baiana de Aspirantes, disputada em novembro do ano passado. O elenco sofreu um grande desfalque já que o atacante e artilheiro da competição Levi, entrou na Justiça pedindo a rescisão de contrato pelo atraso na pagamento de salários. No entanto, o técnico Edu Silva avaliou positivamente a pré-temporada feita pelo time.

"Considero positiva a nossa preparação. Recuperamos atletas e ninguém se lesionou. Foram quatro amistosos que nos deram uma dinâmica de jogo interessante a nível de campeonato", disse ao BN.

Com apenas a disputa do Baianão na temporada de 2020, o Touro do Sertão tem como objetivo principal conquistar uma vaga na Série D do ano que vem.

Olho nele: Rafael Granja (meia)

Time-base: Rodolfo; Ângelo, Eduardo, Brener e Xandi; Guto, Diego Aragão, Alessandro Azevedo e Rafael Granja; Kel e Henrique.


JACOBINA
O Jacobina chega para disputar o Campeonato Baiano pelo 6º ano seguido. Após se livrar do rebaixamento nos minutos finais em 2019, o Jegue da Chapada chega com mudanças para 2020. Na presidência, Erenaldo Benício foi eleito por aclamação em dezembro do ano passado. O vice-presidente é Rafael Damasceno, que era o antigo presidente. Apesar de afirmar algumas vezes que queria deixar o futebol, acabou aceitando o convite e assumiu o cargo.

Outra novidade foi a chegada do técnico Arnaldo Lira. Após fazer uma grande campanha pelo Atlético de Alagoinhas, o treinador quer repetir o desempenho pelo Jegue da Chapada e chegar às semifinais do Campeonato Baiano, no entanto, reconhece a dificuldade e diz que terá que usar todo seu talento. 

"Mais um campeonato que vou disputar, dessa vez pelo Jacobina. A diretoria do Atlético não permaneceu e quem chegou optou por outro profissional. Aí o Rafael Damasceno me procurou. Será uma missão difícil, mas fui muito bem recebido na cidade. Vamos começar o trabalho na segunda para chegar na semifinal, algo que estou acostumado", disse.

"O time teve problemas, então estamos fazendo o que a gente pode. Não posso dizer que vou chegar e ser campeão. Perdemos um mando de campo, a folha de pagamento talvez seja a menor, pouco investimento. Aí vai precisar muito do meu talento e da comissão técnica em tentar fazer um time forte", completou. 
Lira terá um velho conhecido ao seu lado. O Jacobina acertou a contratação do experiente João Neto, que foi campeão baiano com o Bahia de Feira em 2011 e artilheiro da última edição pelo Carcará. Em ambas as campanhas, o atleta foi comandado por Lira. 

Olho nele: João Neto (atacante)

Time-base: Mateus; Edcarlos, Iran, Bruno, Deca; Hércules, Elielton, Dionísio, Deivid; Luis Ricardo, João Neto.



JACUIPENSE
O Jacuipense chega ao Baianão 2020 com moral. Após ficar apenas na sétima colocação na edição passada, o Leão do Sisal conquistou o inédito acesso à Série C do Brasileiro. A equipe chega sendo treinada pelo Jonilson Veloso por mais uma temporada. Ele é o quarto técnico mais longevo do Brasil em um mesmo clube. Tem o grupo em suas mãos, e essa equipe evolui a cada ano. De acordo com o treinador, o time não pode vacilar nas primeiras rodadas e precisa fazer valer o fator casa. 

"A gente começou mal as competições passadas e essa agora aprendemos que temos que começar bem. Competição curta acaba que todos os jogos são finais, onde temos que sempre pontuar. Principalmente os jogos dentro de casa, teremos cinco, se ganharmos todos eles já daremos um grande passo para classificar. Sabemos também quais são as equipes que podemos sair e conseguir alguns pontos. O planejamento está sendo feito todo em cima disso, já que na primeira semana estreamos no campeonato e logo em seguida temos mais dois jogos. Serão três jogos muito rápidos e se conseguirmos sete pontos, com certeza, encaminharemos a nossa classificação", comentou.

Além de manter jogadores importantes como Paulinho, Danilo Rios, Pantico, Jordan, o Jacuipense contratou bons atletas para reforçar ainda mais seu elenco. Nomes como Railan, ex-Bahia, o meia Rafael Bastos e o lateral-esquerdo Radar foram contratados. No Jacupa, Danilo Rios e Rafael Bastos vão reeditar uma dupla que ficou marcada no Bahia entre 2005 e 2006. 

Olho nele: Danilo Rios (meia)

Time-base: Jordan; Railan, Matheus, Railon e Cassio; Banguelê, Eudair, Mauri e Danilo Rios, Popô e Marcel.


JUAZEIRENSE
A temporada de 2019 não deixou boas lembranças para a Juazeirense. Após um Baianão irregular sendo eliminado na primeira fase na oitava colocação, o time acabou não subindo para a Série C do Brasileiro e terá somente a disputa do estadual na agenda de 2020. Para recuperar o prestígio e voltar a atuar no cenário nacional como Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série D do Brasileiro, a diretoria do clube de Juazeiro trouxe o técnico Vladimir de Jesus e investiu na montagem do elenco.

"Fizemos alguns investimentos altos para ter um elenco forte e buscar retornar à Copa do Brasil e a Copa do Nordeste. Fizemos um time mais jovem, mais alegre e com mais força. Acreditamos que vamos defender a nossa posição como a terceira força do futebol da Bahia, segundo o ranking nacional da CBF. E queremos avançar mais um pouquinho, quem sabe, chegar à final do Campeonato Baiano", afirmou o presidente da Juazeirense, o deputado estadual Roberto Carlos (PDT), à reportagem do BN.

O Cancão de Fogo manteve alguns atletas da temporada passada como a dupla de ataque Jeam e Nino Guerreiro, além dos laterais Alex Travassos e Rodriguinho, e o experiente volante Waguinho. O clube também promoveu o retorno do versátil Júnior Gaúcho, capaz de atuar tanto como zagueiro quanto de volante. Porém, a grande contratação é o zagueiro Kanu, que se destacou no Vitória e acumula passagens por clubes como ABC, Ituano e Oeste, e experiências no futebol da Bélgica e de Portugal.

Olho nele: Kanu (zagueiro)

Time-base: Milton; Alex Travassos, Kanu, Junior Gaúcho; Wendell; Waguinho, Jhonata, Clebson e Elcarlos; Jeam e Nino Guerreiro.


VITÓRIA
Para a disputa do Campeonato Baiano, a diretoria do Vitória decidiu jogar todo o certame com a equipe sub-23, comandado pelo técnico Agnaldo Liz.

O atacante Caíque Souza, que no ano passado chegou a atuar no profissional, mas sofreu sucessivas lesões e diante disso conseguiu engatar uma sequência, destacou a empolgação do grupo para a disputa do Baianão. "Uma oportunidade ímpar de disputar o Campeonato Baiano. Todo mundo está empolgado aqui e a torcida pode esperar que a gente vai dar a vida dentro de campo e com muita qualidade, como sempre foi Vitória", declarou.

Outro jogador que comemorou a oportunidade de disputar o Baianão foi o atacante Eron. O atleta espera ter um bom desempenho no certame e assim e conquistar seu espaço. "Vou manter o mesmo foco, quando eu tive no principal no ano passado. Vou começar o ano no sub-23, mas com a oportunidade muito grande de jogar o Campeonato Baiano. Disputar o Campeonato Baiano pelo Vitória é importante. Tenho que buscar meu espaço tanto no Baiano, como no decorrer da temporada para quando chegar no final do ano ter o nosso objetivo, que é colocar o Vitória na Série A", afirmou.

Olho nele: Caíque Souza (atacante)

Time-base: Lucas Arcanjo; Welisson, Dedé, Nuno e Gabriel Gomes; Gabriel Bispo, Renzo e Nickson; Gabriel Santiago, Eron e Caíque Souza.


VITÓRIA DA CONQUISTA
No ano passado, após um início ruim no Baianão, o Vitória da Conquista fez uma campanha de recuperação e conseguiu a classificação à semifinal. Eliminado pelo Bahia de Feira, o time terminou a competição estadual na quarta colocação geral e ficou com uma vaga na Série D do Brasileiro. Neste ano, o Bode espera repetir o sucesso e alcançar, no mínimo, o G-4.

"O objetivo é tentar chegar o mais distante possível na competição. A gente sabe que Bahia e Vitória sempre serão os favoritos ao título do Campeonato Baiano. Acho que tende a ser um campeonato mais equilibrado pelo investimento feito por todas as equipes. Mas é futebol e tende a ser decidido dentro de campo", disse em entrevista ao Bahia Notícias.

Para isso, o Bode trouxe de volta o técnico Elias Borges, responsável pela boa recuperação no Baianão do ano passado. Já para reforçar o elenco, a diretoria conquistense contratou o veterano artilheiro Nonato. Aos 40 anos, o atacante é a esperança de gols da equipe.

"Fizemos uma pré-temporada muito boa em todos os aspectos. Foram quase dois meses de treinamento. Vamos estrear e concluir o Baiano em casa. Teremos cinco jogos em casa e quatro fora e um elenco bem competitivo apostando nos nomes que trouxemos", projetou o dirigente. "Estamos muito otimistas por tudo que fizemos", completou.

Olho nele: Nonato (atacante)

Time-base: Lupitinha; Roni, Felipe, Silvio e Otávio; Maicon, Dinda e Carlinhos; Fagner, Rafinha e Nonato.

Fonte: Bahia Noticias


Páginas