Anitta contesta Bolsonaro em longo desabafo: 'Conteúdo LGBT deve ser banido?' - AUGUSTO URGENTE- JACOBINA BAHIA

Destaque

Anitta contesta Bolsonaro em longo desabafo: 'Conteúdo LGBT deve ser banido?'

Anitta contesta Bolsonaro em longo desabafo: 'Conteúdo LGBT deve ser banido?'
Criticada por parte de seu público durante o período eleitoral ao não deixar claro seu posicionamento político, Anitta decidiu ir afrontar o presidente Jair Bolsonaro no Instagram. A artista fez um extenso comentário em um post publicado pelo chefe do Executivo há quatro dias sobre o a suspensão do edital com séries LGBT para as emissoras públicas (relembre aqui).

A dona do hit "Vai Malandra" apontou que não sabe se todas as publicações nas redes sociais são feitos pelo próprio governante.“Desde que o senhor fez esse post comecei a pesquisar sobre. Perguntei inclusive a eleitores do senhor que não são heterossexuais. Alguns me disseram que o senhor explica tudo em uma live semanal e que as razões eram por conta de verba pública, outros pelo conteúdo ser zero relevante ou de baixo nível, outros me disseram que foi pra todo tipo de conteúdo de baixo nível não só LGBT, outros não souberam como opinar”, iniciou a artista.

Em seguida, a carioca indagou que se a questão é econômica a redução deveria ser aplicada em todos os setores. “Mas então fiquei confusa. Se a questão é verba ou conteúdos de baixo nível porque o post do senhor se dirige diretamente à comunidade LGBT e não a todo o contexto envolvido como me falaram? Durante toda sua campanha política, quando o acusaram de homofobia, o senhor respondeu não ser homofóbico, mas mencionar apenas a comunidade LGBT em seu post sem legendas ou explicações não passa a ideia aos seus seguidores de que conteúdo LGBT deve ser banido? Estimula seus seguidores a pensarem que conteúdo familiar não pode ter menção LGBT assim como vi em alguns comentários aqui”.

“Se a decisão tem outros fatores porque postar apenas a questão LGBT? Existe um filme chamado Billy Elliot que aborda questões de preconceito, questões LGBT, cultura de balé clássico, disciplina e várias outras coisas incríveis de maneira super sofisticada e simples ao mesmo tempo. Este tipo de conteúdo não merecia um apoio? Não merecia visibilidade? Me estranhou este post aparentemente celebre em meio à questão amazônica mas acredito que os diferentes departamentos sigam trabalhando em suas áreas pra que as coisas não parem. Enfim, estou buscando um lado bom para olhar. Neste caso não estou conseguindo”, prosseguiu.

No final do texto, ela, que é dona de um produto infantil, o "Clube da Anittinha", ainda falou sobre a falta de conteúdo familiar na programação televisiva. "Talvez o motivo pelo qual não se vê mais tanto conteúdo família na TV aberta brasileira seja por conta de uma lei criada alguns anos atrás proibindo a inserção de publicidade infantil na TV aberta. Fez com que os canais não tivessem mais motivo para criar conteúdo infantil visto que não podem ter lucro e faturar com este horário de exibição. O único canal que manteve sua programação infantil e familiar foi o SBT mesmo não lucrando com as propagandas comerciais destes produtos”. BN

Páginas