Destaques

recent

Aqui se faz, aqui se paga


O velho ditado ‘venha a nós e ao vosso reino nada’, nunca esteve tão atual e usável, com o egoísmo sendo uma atitude comum nos relacionamentos humanos. As pessoas estão cedendo espaço em suas vidas para o irracional, o incomum e o intolerável por conta do abominável hábito de olhar apenas para o seu próprio umbigo, colocando seus interesses, opiniões, desejos e necessidades em primeiro lugar, em detrimento do ambiente onde se encontra e das demais pessoas com que se relaciona.
O apego excessivo aos próprios interesses é histórico, vem desde a ‘criação do mundo’. Nas escrituras bíblicas é possível encontrar vários exemplos de soberbia. Entre as passagens mais conhecidas está a história de Adão e Eva, que, narrada tanto na Bíblia quanto no Alcorão, se refere a um suposto casal primordial criado por Deus; os primeiros seres a habitarem o planeta, o homem criado do barro e a mulher, sua metade complementar, gerada de uma costela extraída dele. Pois bem, depois de comer a maçã (o fruto proibido) oferecida por Eva, o seu companheiro Adão e a própria foram penalizados com a perda do ‘paraíso’. Com essa desobediência iniciaram as práticas que levaram o casal à uma vida pecaminosa, e neste interstício nasceram seus primeiros filhos, Caim e Abel; o primeiro, possuído por ciúmes, armou uma emboscada e matou seu próprio irmão. Este seria o primeiro exemplo de egoísmo conhecido desde a criação da terra (segundo a Bíblia). O erro dos pais desencadeou ódio nos filhos.
Como no início da vida a história é repetida nos quatro cantos do mundo até os tempos atuais. Os puros se tornam impuros, os incorruptos se tornam corruptos, e vice-versa. Onde existe ‘gente’ sempre existirá a ganância em toda a sua essência. Certos comportamentos, mesmo individualistas, levam muitos a crêem que o milagre da vida eterna beneficiará aquele que não for considerado salvo. Esquecem que as boas ações não são aquelas que alimentam apenas o ‘eu’ e que a partilha é um ato louvável e exemplar do altruísmo, em que as ações voluntárias de um indivíduo beneficiam outros.
Uma expressão popular da língua portuguesa bastante conhecida diz que “aqui se faz, aqui se paga”. Tal frase é geralmente utilizada para alertar alguém sobre as consequências que esta pode sofrer devido as suas ações incorretas. A partir do ponto de vista religioso, significa que a pessoa que cometeu alguma injustiça ou agiu de modo incorreto pagará pelo seu pecado enquanto ainda for vivo.  Esta é a ‘lei do retorno’.
Por tanto, é preciso que se faça coisas boas, para que possa receber coisas boas.

Por Gervásio Lima
Jornalista e historiador
Aqui se faz, aqui se paga Aqui se faz, aqui se paga Reviewed by Augusto Urgente on 7.2.19 Rating: 5

Nenhum comentário

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Augusto Urgente, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.