recent

‘Parte da sociedade busca censurar o que é diferente’, diz diretor de ‘A Cidade do Futuro’


A cidade de Serra do Ramalho, na região do Vale do São Francisco, no sertão baiano, se tornou ambiente de destaque no filme “A Cidade do Futuro”, em que são contadas as histórias de uma família não convencional e a saída dos moradores do local por causa da construção da Usina Hidrelétrica de Sobradinho. Cláudio Marques, um dos diretores do longa, contou ao Bahia Notícias que ele e Marília Hughes, também diretora, conheceram o local quando foram filmar um documentário sobre a região. Ao terem conhecimento da história de Milla Suzart, Gilmar Araújo e Igor Santos, eles mudaram o objetivo inicial e decidiram levar a experiência para a ficção. “Ficamos surpresos quando chegamos no local e encontramos jovens que querem se firmar como cidadãos de primeira categoria. Eles lutam contra a homofobia, violência”, disse Cláudio. A escolha do nome do filme foi pelos diretores entenderem que “esses jovens representam o futuro”. Marques fez diversos elogios aos três atores principais da trama, que fazem parte do teatro amador da Serra do Ramalho e tiveram que passar por um trabalho de adaptação para atuar no cinema, que segundo Cláudio é bem diferente dos palcos. Além disso, ele contou que a intenção do filme não era mostrar os personagens no modelo padrão sobre o Nordeste que o cinema já está acostumado: “Não queremos tratá-los como modelos do sertão de pobreza, água, seca. E sim como artistas, transmitir o sertão com música eletrônica e halloween”.


Apesar do filme ter estreado somente nesta quinta-feira (26) no circuito comercial, ele foi produzido em 2016 e já passou por diversos festivais. “Cada vez mais o cinema brasileiro ganha destaque e toma os espaços nos principais festivais”, afirmou Cláudio, que também pontuou a extrema importância desses eventos quando se fala de filmes independentes: “Eles não têm muito dinheiro para fazer propaganda, então como fazer para ganhar visibilidade? Através dos festivais, prêmios e críticas”. “A Cidade do Futuro” ganhou o prêmio de "Melhor Filme Latino-Americano" no Bafici, em Buenos Aires, "Melhor filme internacional" no NewFest, em Nova York, e "Melhor Filme pelo Público no Olhar de Cinema", em Curitiba. Os diretores do longa procuram fazer uma conexão entre os temas que são tratados em suas produções e a população: “Nossos dois longas tem uma veia libertária, tanto 'A Cidade do Futuro', quanto 'Depois da Chuva' (2015), e de alguma maneira eles se relacionam com a sociedade”. Com relação ao longa que está em cartaz, ele afirma: “É uma ficção, não é um documentário, mas tem uma personalidade própria”. No momento em que eles decidiram começar a divulgação dos filmes nas redes sociais, Cláudio contou que os "haters" apareceram em peso para criticar a temática do longa, mas o que ele pontuou como importante foi a chegada das pessoas que estavam defendendo produções desse estilo. “Estamos vivendo um momento muito delicado, em que uma parcela da sociedade é muito conservadora e busca censurar o que é diferente deles”, lamenta Cláudio. Para ser produzido, o filme contou com um prêmio de R$ 300 mil do edital IRDEB/FSA, Progama Brasil de Todas as Telas de 2014, e com a distribuição da Espaço Filmes, em trabalho conjunto com a Vitrine Filmes, além do patrocínio Agência Nacional do Cinema (Ancine). Com relação aos editais Cláudio fala que eles são essenciais para que o cinema baiano continue cada vez mais diverso. Por isso, faz um apelo: “Os editais da Secult precisam se tornar anuais. O último foi dois anos atrás, e eles estão tendo um valor satisfatório”. Ele ainda afirma que a indústria cinematográfica é a que mais emprega os profissionais de audiovisual, “é só olhar os créditos e ver a quantidade de pessoas que participam”. “Eu queria fazer esse apelo que o edital saia esse ano e no próximo, que ocorra uma regularidade desses editais”, complementou o diretor.
Fonte Bahia Notícias


‘Parte da sociedade busca censurar o que é diferente’, diz diretor de ‘A Cidade do Futuro’ ‘Parte da sociedade busca censurar o que é diferente’, diz diretor de ‘A Cidade do Futuro’ Reviewed by Augusto Urgente on 28.4.18 Rating: 5

Nenhum comentário

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Augusto Urgente, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.