recent

Ministério de Guiné-Bissau nega que estelionatário brasileiro seja cônsul do país

O Ministério de Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e das Comunidades de Guiné-Bissau se pronunciou nesta terça-feira (29) sobre o caso do brasileiro Celso Éder Gonzaga de Araújo, que se apresentava como cônsul honorário da República de Guiné-Bissau em Campo Grande e aplicava golpes nos quais as vítimas investiam em cotas mínimas de R$ 1 mil e receberiam R$ 1 milhão em troca. 

“Vale, no entanto, ressaltar que, a figura destacada esteve em Guiné-Bissau, onde manifestou – tão somente – a possibilidade de investir num projeto ambicioso de construção de um Hospital de Referência. 

Não há, no Ministério de Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e das Comunidades, nenhum assunto corrente ou candidatura de Cônsul Honorário em nome de Celso Eder Gonzaga de Araújo”, afirmou a pasta em nota. 

No comunicado as autoridades guineenses acrescentaram que o único brasileiro nomeado como diplomata conselheiro especial do ministério é Adailton Maturino dos Santos, que está em processo de credenciação – a documentação, atualmente, está nos serviços da Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras e de Assuntos Consulares e Jurídicos do Ministério das Relações Exteriores do Brasil (Itamaraty). Celso Éder conseguiu fazer 25 mil vítimas em todo o Brasil e foi preso na última semana pela Polícia Federal durante a operação Ouro de Ofir.

Fonte: Bahia Noticias 
Ministério de Guiné-Bissau nega que estelionatário brasileiro seja cônsul do país Ministério de Guiné-Bissau nega que estelionatário brasileiro seja cônsul do país Reviewed by Augusto Urgente on 29.11.17 Rating: 5