Em discurso na ONU, Trump ameaça 'destruir Coreia do Norte'

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

No primeiro dia de debates na Assembleia Geral, o presidente americano ameaçou destruir totalmente a Coreia do Norte.

“Se os Estados Unidos precisarem defender a si ou aos seus aliados, nossa única alternativa será a de destruir totalmente a Coreia do Norte”. Essa foi a frase de Donald Trump em seu primeiro discurso no maior encontro diplomático do mundo.

Ele chamou os norte-coreanos de "bando de criminosos" que agora querem se armar com bombas nucleares e mísseis e, usando um apelido que ele mesmo deu ao ditador Kim Jong-un, Trump disse que o homem do foguete está em uma missão suicida.
Leia mais abaixo ou clicando AQUI!
Depois, Trump falou do Irã, que chamou de ditadura corrupta que patrocina o terrorismo, e disse que o acordo nuclear iraniano, fechado pelo presidente Barack Obama e pelas maiores potências mundiais, é uma vergonha para os Estados Unidos.

Sobre a Venezuela, Trump disse que Nicolás Maduro é um ditador socialista que causou dor e sofrimento ao povo. O presidente americano lembrou que já impôs sanções ao governo de Caracas e falou que os Estados Unidos estão preparados para tomar outras atitudes se Maduro continuar a se impor autoritariamente.

Donald Trump usou o palco da ONU também para prometer que vai respeitar a soberania dos países. Disse que os americanos pagaram com a vida lutando para defender a liberdade de muitas nações que estão representadas hoje na ONU.

Afirmou que os Estados Unidos vão ser eternos amigos do mundo, especialmente dos aliados, mas que vai colocar o país em primeiro lugar da mesma forma que outros governos devem colocar os interesses dos seus cidadãos em primeiro lugar.

Trump terminou seu discurso defendendo a reforma das Nações Unidas. Disse que a organização é burocrática e reclamou: “Nós somos apenas um dos 193 países e pagamos 22% do orçamento”.
O secretário-geral da ONU, o português Antonio Guterres, sem citar Trump, mandou vários recados velados para o presidente americano. Ao condenar os testes nucleares da Coreia do Norte, Guterres disse que discursos inflamados podem levar a mal-entendidos fatais.

Também afirmou que o mundo não enfrenta apenas uma crise de refugiados, mas uma crise de solidariedade. “Em vez de portas fechadas e hostilidades abertas, precisamos restabelecer a compaixão humana”, disse ele.
Fonte: G1.

Postar um comentário

  © Augusto Urgente De olho na Notícia! by Augusto Jacobina 2013/2017 - Contato: (74) 9125-2490 / E-mail: cidadedoouro@globomail.com

Back to TOP