recent

MP da Venezuela vai avaliar possível manipulação de resultados na Constituinte

A procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega Díaz, anunciou a abertura de uma investigação sobre a suposta manipulação dos resultados da votação para a Assembleia Nacional Constituinte no último domingo (30), que envolve quatro reitoras do Conselho Nacional Eleitoral (CNE). A informação é da Agência EFE.

"Determinei investigar se estamos na presença de um crime, inclusive de lesa-humanidade. Por isso, designei dois procuradores para investigar quatro reitoras do CNE por esse fato escandaloso", afirmou Ortega em entrevista à CNN, depois que a empresa responsável pelo sistema de votação denunciou uma manipulação do número de participantes.

"Também avaliamos se levaremos a denúncia a organizações internacionais, uma vez que estamos diante de possíveis crimes de lesa-humanidade", acrescentou a procuradora-geral.

Segundo o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela, 8.089.320 pessoas - 41,53% - participaram no domingo da votação, marcada por protestos e mortes.

Antonio Múgica, executivo da Smartmatic, a empresa que instalou cerca de 24 mil urnas eletrônicas na Venezuela, afirmou que os dados oficiais superestimam em pelo menos 1 milhão de votos o número de cidadãos que compareceram às urnas. "Calculamos que a diferença entre a participação real e a anunciada pelas autoridades é de pelo menos 1 milhão de votos", disse Múgica.
Para Ortega, "esse anúncio é bem grave, pois indica que houve manipulação" e é necessário medir o alcance desse fato, que representa, segundo ela, "mais um elemento do processo fraudulento e inconstitucional" de convocação da Constituinte.

Além disso, a titular do Ministério Público da Venezuela solicitou nova auditoria com "especialistas nacionais e internacionais, mas sem as reitoras do CNE", com o objetivo de determinar responsabilidades.

Ortega rechaçou a eleição da Assembleia Nacional Constituinte, por considerá-la "ambição ditatorial" do chavismo. Ela denunciou que o processo deveria "ser convocado pelo povo", e não pelo presidente Nicolás Maduro. Essas posições fizeram com que ela se tornasse uma das vozes mais críticas à Constituinte.

"Tenho que dar uma resposta ao país para oferecer segurança, pois esta Constituinte tem atribuições infinitas", disse a procuradora, acrescentando que, com a instalação da Assembleia, prevista para esta sexta-feira (4/8), "será instituído um órgão com superpoderes". Além disso, ela pediu medidas para "paralisar a instalação" da ANC, ao considerar que existem indícios de que "nem 15% dos eleitores votaram".

A Venezuela vive uma série de manifestações a favor e contra o governo desde o dia 1º de abril, que até agora já deixaram 121 mortos. A situação culminou com a eleição da Assembleia Constituinte, da qual a oposição não participou por considerá-la fraude.

Com informações da Agência Brasil.
MP da Venezuela vai avaliar possível manipulação de resultados na Constituinte MP da Venezuela vai avaliar possível manipulação de resultados na Constituinte Reviewed by Augusto Urgente on 3.8.17 Rating: 5