Presidente da Câmara de Jacobina chama colegas de “safados” e “vagabundos”

sábado, 24 de dezembro de 2016

O vereador Cleriston Alves (PPS), presidente da Câmara de Jacobina, usou seu perfil no Facebook para rebater as críticas à emenda de sua autoria que assegura estabilidade de salários para os servidores que ocupam cargo de vereador por pelo menos 10 anos. (Veja matéria aqui).

Em tom pouco republicano, o presidente da Câmara Municipal de Jacobina tachou de “safados” e “vagabundos” seus dois colegas de parlamento, os vereadores Pedro Mário (PMDB) e Tiago Dias (Pros), que votaram contra a emenda. “É preciso que esses vagabundos tenham respeito no que dizem, e não saiam mentindo descaradamente”, declarou.

Cleriston Alves também destilou seu ódio contra a imprensa: “esses sites que não se informam antes de publicar asneiras”, afirmou o vereador, se esquecendo de que não se pode contrariar o óbvio.

Veja abaixo a postagem do vereador Cleriston Alves:
“Boa noite povo Jacobinense, venho mostrar minha indignação sobre o que alguns sites de Jacobina e alguns vereadores mentirosos estão colocando a respeito da Emenda à Lei Orgânica Municipal, hoje aprovamos a Emenda no que diz respeito a Estabilidade Econômica: Hoje a Lei Orgânica diz que o FUNCIONÁRIO PUBLICO EFETIVO que exercer o cargo de chefia, Coordenador, etc.. Por 10 anos consecutivos ou não, tem direito a Estabilidade Econômica, percebendo o salário integral do Cargo. Ou seja, se o FUNCIONÁRIO PÚBLICO EFETIVO ficar a exemplo 10 anos no cargo de Secretário Municipal, ele vai ficar com estabilidade com salário de Secretário. E existe uma Lei Estadual de número 1371/2015, sancionada em Pelo Governador da Bahia, em 30/12/2015, que diz que o FUNCIONÁRIO PÚBLICO ESTADUAL que tem mandado eletivo, (eleito pelo povo), tem direito a ESTABILIDADE ECONÔMICA de 30% do subsídio do cargo Eletivo. Mas pra que isso aconteça é necessário que quem for eleito pelo povo seja Funcionário Efetivo. E fique durante 10 anos de mandato. Lembrando que perceberá apenas 30 % desse subsídio. É preciso que esses vagabundos tenham respeito no que dizem, e não saiam mentindo descaradamente. Só adequamos a Lei Estadual ao Município, nada mais. Porque o Funcionário Público pode pegar a Estabilidade como secretário e etc… E não pode como Vereador? qual a diferença se é cargo do mesmo jeito. Deixo a minha indignação a esses vereadores safados que distorceram a Lei e a esses sites que não se informam antes de publicar asneiras. VAGABUNDOS. Lembrando que a Lei foi aprovada por 13 votos a favor, contra apenas 02 votos contrários. É Lei Estadual.”
  
O vereador Pedro Mário (PMDB), que ao lado de Tiago Dias (Pros), votou contra emenda, rebateu as declarações do presidente Cleriston Alves:

“Em primeiro lugar: nenhum vereador recebeu cópia. Em segundo lugar: a lei estadual a qual o vereador se refere diz que é 30% do subsídio ou a diferença entre os dois salários. Por exemplo: eu recebo 1200 reais como dentista concursado do município. A diferença para 8 mil de vereador da quanto? 6800. Eu seria beneficiado com a emenda. No entanto, acho imoral. Fiz concurso pra dentista e não para vereador. Porque da urgência? Por que na última sessão? Sem discutir. Vagabundo é quem apresenta uma proposta dessas. Seria muito cômodo para mim votar e receber 6800 até me aposentar. Tenho minha consciência tranquila e tenho certeza que votei da maneira correta. Não adianta esculhambar a imprensa; não adianta esculhambar a justiça se a câmara tem votado errado”, rebateu Pedro Mário.
Fonte: Jacobina 24h.

Postar um comentário

  © Augusto Urgente De olho na Notícia! by Augusto Jacobina 2013/2017 - Contato: (74) 9125-2490 / E-mail: cidadedoouro@globomail.com

Back to TOP