Filha desabafa após morte da mãe em SP: ‘Treze dias internada em Miguel Calmon sem diagnóstico’

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Filha desabafa após morte da mãe em SP: 'Treze dias internada em Miguel Calmon sem diagnóstico'A idosa Eduvirgem Oliveira dos Santos, de 73 anos, que era moradora do povoado de Olhos D’água de Miguel Calmon, faleceu no dia 16 de novembro no Hospital Serraria, em Diadema, na Grande SP, após ser diagnosticada com esquistossomose. Segundo a filha da idosa, Elizabete Oliveira dos Santos, a mãe dela ficou internada por 13 dias no Hospital Português em Miguel Calmon, e mesmo depois de todos esses dias os médicos não conseguiram diagnosticar a doença. Ainda de acordo com Elizabete, um rápido diagnóstico poderia ter salvado a vida de sua mãe.

Ao Jacobina Notícias, Elizabete contou que após longas duas semanas de internação, como nenhum diagnóstico foi relatado pelo Hospital Português, foi necessário enviar seus irmãos de SP para Miguel Calmon para encaminhar sua mãe até a capital paulista. Já em São Paulo, a idosa foi internada no Hospital Serraria e de imediato a equipe médica a diagnosticou com Esquistossomose. Após o diagnóstico, os médicos fizeram uma tomografia para saber o impacto da doença na idosa, e comprovaram, segundo Elizabete, que os órgãos já estavam debilitados. A senhora Eduvirgem não resistiu e morreu no dia seguinte.

“Eles [Hospital de Miguel Calmon] não descobriram o que ela tinha. Quando ela chegou aqui, foi que ela foi internada e foi descoberto o problema dela. Um simples exame de sangue já constatou o que ela tinha, detectou que ela tinha esquistossomose. A tomografia foi pra ver o estágio que estava, e mostrou que seu estado era grave. Um dia depois de constatar que ela tinha adquirido a doença, minha mãe faleceu aqui em São Paulo porque não tinha mais como tratá-la”, contou Elizabete.Eduvirgem Oliveira dos Santos foi diagnosticada assim que chegou em São Paulo, mas faleceu por conta da doença estar avançada (Foto: Reprodução / Arquivo pessoal da família)
Ela pede para que a população da região de Jacobina e Miguel Calmon seja alertada sobre a doença, que é adquirida através da água contaminada. Elizabete também chamou a atenção dos profissionais de saúde para ficarem atentos aos sintomas da esquistossomose e de imediato começar o tratamento. “Não quero que outras pessoas passem pelo mesmo que minha mãe e nós passamos, as autoridades da região de Jacobina precisam ficarem alertas sobre essa doença”, alertou.
O que é e como se adquire?


A Esquistossomose é uma infecção causada por verme parasita da classe Trematoda, também chamada de ‘Barriga D’água’. Nos locais onde há incidência desse parasita, o número de pessoas contaminadas se mantém constante. Os ovos eliminados pela urina e fezes dos homens contaminados evoluem para larvas na água, estas se alojam e desenvolvem em caramujos. Estes últimos liberam a larva adulta, que ao permanecer na água contaminam o homem. No sistema venoso humano os parasitas se desenvolvem até atingir de 1 a 2 cm de comprimento, se reproduzem e eliminam ovos. O desenvolvimento do parasita no homem leva aproximadamente 6 semanas (período de incubação), quando atinge a forma adulta e reprodutora já no seu habitat final, o sistema venoso. A liberação de ovos pelo homem pode permanecer por muitos anos. (Só Biologia)

Fonte: Jacobina Notícias

Postar um comentário

  © AUGUSTO URGENTE DE OLHO AN NOTÍCIA! by Augusto jacobina 2013/2014 - Contatos: (74) 9125-2490 / 8107-1105 / 9935-8985 / / E-mail: cidadedoouro@globomail.com

Back to TOP