Filha chora morte da mãe em incêndio de farmácia em Camaçari: ‘Levou metade de mim’

domingo, 27 de novembro de 2016

Vilma foi a décima vítima do incêndio
na farmácia Pague Menos de Camaçari
Filha de Vilma Conceição Santos, 40 anos, Thainá Giudice lamentou a morte da mãe, décima vítima fatal do incêndio na farmácia Pague Menos de Camaçari. Vilma estava internada no Hospital Geral do Estado (HGE) desde o dia do acidente, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã desta sexta-feira (25).

“Porque a vontade de Deus nós não entendemos… Obrigada a todas as orações, obrigada aqueles que tiveram fé e nos deram apoio, a cada fim um recomeço. Hoje minha mãe descansou… Depois de tanta luta, tanto sofrimento, pois sempre foi uma guerreira e nunca conquistou nada fácil, batalhou por tudo que conquistou com o sorriso no rosto, a fé no coração e a força na alma, me criou com todo amor e dedicação desse mundo, devo tudo que sou a ela… É triste, tá doendo muito, uma dor inexplicável mas que ela esteja em bom lugar, junto ao nosso bom Deus, com o sorriso de sempre! Mãe, amor eterno!”, escreveu a jovem.

Thainá fez outras postagens em lembrança da mãe, que trabalhava na farmácia. “Levou metade de mim com ela, só tem uma parte do meu coração batendo (…) Eu perdi tudo que eu tinha”, escreveu. E finalizou: “Luto eterno”.

O marido de Vilma, o funcionário público José de Jesus Barreto, 43 anos, disse em entrevista ao Correio que a esposa trabalhava na farmácia há quatro anos. “Quando me ligaram dizendo que a farmácia estava pegando fogo, pensei no pior”, disse Barreto.

Ele disse ainda que antes de dar entrada no HGE Vilma chegou a ser socorrida para o Hospital Geral de Camaçari, de onde posteriormente foi transferida. “Quando a vi, ela já estava com o balão de oxigênio, sem poder falar e com o corpo todo queimado”, lamentou. Vilma e José eram casados há quatro anos.

O irmão de Vilma, Fernando Conceição, 36 anos, lamentou a morte da familiar. “Estou lembrando dos bons momentos que tive com ela. Não quero esquecer. E o pior é que não pude fazer nada. Se estivesse lá ainda poderia fazer alguma coisa”, afirmou.
Fonte: Correio 24h.

Postar um comentário

  © AUGUSTO URGENTE DE OLHO AN NOTÍCIA! by Augusto jacobina 2013/2014 - Contatos: (74) 9125-2490 / 8107-1105 / 9935-8985 / / E-mail: cidadedoouro@globomail.com

Back to TOP